Etiquetas

, , ,

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, eleito e reeleito para o cargo sob o patrocínio dos EUA e de hábito dócil às exigências de Washington, desta vez arrostou um veto do governo estadunidense. Este mais de uma vez o admoestou oficialmente para não ir a Teerã a fim de participar da Conferência dos Países Não Alinhados, em geral pouco simpáticos às empreitadas imperialistas em curso no mundo, especialmente na Síria e no próprio Irã. Mas ele pegou avião em Nova York e desceu ontem, 28, na capital iraniana. Não poderia ser diferente, pois na conferência estarão países que constituem mais de metade dos membros da ONU, mais de metade do território e da população mundial. Já estão também em Teerã os chefes de governo da Índia, do Paquistão e de numerosos outros países. Outras dezenas deles deverão chegar durante a semana.

Perderá seu tempo, porém, quem procurar essa notícia no New York Times, na Associated Press, na Reuters ou em qualquer órgão importante da chamada mídia ocidental. Nos jornalões brasileiros, é claro, por maior razão. O boicote é total, para mostrar mais uma vez que a mídia corporativa capitalista se ajustou ao papel humilhante de arma de propaganda de guerra dos Estados Unidos. Para encontrar a notícia, é preciso procurar no Russia Times. Está aqui.

P.S. Depois de postar a matéria sobre Ban Ki-moon, vimos que o site Estadão publicou matéria sobre a Conferência dos Países Não Alinhados. O conteúdo é ao jeito da casa, parcial contra, mas pelo menos é uma matéria. Está aqui.