Etiquetas

, , ,

Os círculos acadêmicos e políticos de esquerda lamentam o falecimento de Carlos Nelson Coutinho, escritor e teórico marxista de alto valor. Foi sem dúvida um criador intelectual que trouxe brilho e exemplo de probidade para a história do pensamento brasileiro. Foi professor emérito e escritor talentoso e fecundo. Durante oito anos dirigiu da Editora da UFRJ.

Além de lamentá-la pela perda que representa para o país, sinto sua morte como perda pessoal. Fomos companheiros de partido durante décadas e, mesmo quando em divergência política, mantivemos sempre relação pessoal de amizade e respeito mútuo.

A reitoria da UFRJ divulgou nota para registrar o acontecimento infausto:

Nota de pesar pelo falecimento de Carlos Nelson Coutinho
JEAN SOUZA – ASSESSOR DE IMPRENSA DO GABINETE DO REITOR
dmvi@reitoria.ufrj.br

Hoje nos deixou o professor Carlos Nelson Coutinho, um dos nomes de maior destaque na história da UFRJ e um dos principais pensadores do Brasil. Gramsciano de referência nacional e internacional, seu trabalho ajudou a formar pesquisadores e pensadores marcados pelo traço crítico essencial para a Universidade e para a mudança social.

Como reitor, tive o prazer de conferir-lhe, recentemente, o título de Professor Emérito da UFRJ, numa cerimônia onde se via nos olhos de estudantes, professores, funcionários, políticos e amigos o carinho e o respeito que tinham por esse grande pensador. Presto minha solidariedade e pesar à família e amigos.

Carlos Levi
Reitor da UFRJ