Etiquetas

, , , ,

Nos anos 1950, quando o racismo contra os pretos era mais forte e os judeus ainda eram mal vistos nos EUA, um ator famoso, Sammy Davis Jr., fez graça com o próprio infortúnio: ele era ali um negro, judeu e, ainda por cima, caolho. “Talk about handicap – I’m a one-eyed Negro Jew”, disse, em frase que ficou célebre. Vivem situação parecida os judeus que, hoje, em Israel, criticam a política racista e predadora de seu governo em relação aos árabes. Para a elite governante e a mídia que a acompanha, eles são mais odiosos do que os próprios árabes. Há não obstante numerosos deles, corajosos e combativos, que resistem e prosseguem lutando para que seu país adote em relação aos árabes uma política de tolerância, respeito mútuo e paz.

É o caso de Miko Peled, filho de um general do exército israelense que teve papel destacado na guerra de 1967 e ficou frustrado com a política de agressão e ocupação de territórios que o país adotou em seguida. Ele considera errada e suicida essa política e se dedica há anos à luta difícil para que o Estado israelense a mude. Em voz serena e com argumentação lastreada em fatos históricos, ele explica em vídeo bem editado sua causa – aqui.